Gestão bem-sucedida da cadeia de suprimentos e suas fases

29 Junho, 2022

A cadeia de suprimentos, cadeia de abastecimento ou supply chain, é um conceito amplo e transversal, que engloba a variedade de atividades e operações envolvidas no percurso completo de um produto ou mercadoria até chegar ao cliente final , ou seja, o ciclo de vida completo do produto, desde a matéria-prima até a venda final. 

Abrange, então, os processos de abastecimento, produção, armazenamento e distribuição, e sua gestão correta requer uma coordenação harmoniosa entre todos os elos da cadeia que, aliás, são mais numerosos hoje em dia devido à globalização. 

No caso da indústria alimentícia, a cadeia de suprimentos engloba todos os processos que levam os alimentos cultivados em uma fazenda à mesa de jantar: a fabricação, administração, uso e descarte de alimentos. 

O planejamento, a base de uma boa gestão da cadeia 

Para conseguir a melhor gestão possível de todos esses processos, o ponto de partida deve ser um planejamento minucioso. Planejar os materiais e matérias-primas, a localização da produção, as formas de produção e seus processos e ferramentas, os recipientes e embalagens a serem utilizados, o tipo de armazenamento que será necessário e as instalações adequadas para isso, as medidas de segurança, as formas de controle de qualidade, etc. 

Planejar e replanejar quando necessário, minuciosa e estrategicamente, cada um dos elementos e etapas da cadeia de suprimentos, melhorará as possibilidades de que funcione da maneira mais rápida e eficiente. 

Uma cadeia de suprimentos bem planejada deve entregar os produtos na quantidade, qualidade e prazo necessários, ao custo mais competitivo possível

Após definir previamente como estes processos devem acontecer, a cadeia de suprimentos é desenvolvida passo a passo, e tradicionalmente podem ser distinguidas 4 grandes etapas:

As fases da cadeia 

  1. Abastecimento: Inclui as atividades necessárias para obter as matérias-primas para a fabricação, e requer conhecimento e coordenação sobre a quantidade e disponibilidade dos materiais, considerando também o tempo necessário para obtê-los. 

Para a cadeia de suprimentos de alimentos, esta fase representa a fazenda, ou seja, onde  os ingredientes, seja carne, frutas, vegetais, bebidas, plantas, etc., têm origem e são comprados. 

  1. Fabricação/produção: A etapa onde as matérias-primas são transformadas em produtos prontos para a venda. Ou seja, envolve todos os processos da elaboração do produto. Para a fabricação em série, a otimização dos processos industriais e a padronização operacional são fundamentais para um ciclo mais ágil e eficaz. 

No caso da cadeia de suprimentos de alimentos, esta parte corresponde ao processamento de plantas e animais para transformá-los em comestíveis. 

  1. Armazenamento: É a gestão temporária das mercadorias sob controle de qualidade e quantidade para seu fluxo de entrada e saída. Os armazéns e/ou centros de distribuição são o eixo desta etapa, e para uma gestão correta, é necessário prever picos de produção e flutuações na demanda, para como consequência tomar atitudes sobre o estoque. 

Para gerenciar o armazenamento da melhor maneira também é necessário considerar o tipo de estantes ideal para o armazém, e os custos de armazenamento, bem como garantir os níveis de inventário para uma boa resposta aos diferentes níveis de demanda. Além disso, o transporte para distribuição é organizado aqui. 

  1. Distribuição e entrega. A última etapa é o trajeto do produto até o cliente final, e vai desde a saída do armazém ou centro de distribuição, até a entrega ao cliente final, que deve acontecer em bom estado e nos prazos prometidos

Para a indústria de alimentos, frequentemente significa chegar em primeiro lugar aos varejistas ou distribuidores, que também gerenciam inventários e realizam outras ações para agregar valor ao produto alimentício. 

No final do ciclo, também podem existir diferentes processos de devolução que darão início a um processo inverso, abrangido pela logística reversa ou logística inversa. 

A gestão logística da cadeia na indústria alimentícia

Assim, a logística constitui mais um elo da cadeia de suprimentos, que envolve as atividades necessárias para a gestão eficiente do armazenamento das mercadorias, a organização do transporte, e a distribuição até o cliente final. 

O objetivo da logística é realizar uma gestão otimizada dos pedidos. Uma tarefa complexa neste caso, já que, graças à globalização, as cadeias de suprimentos de alimentos podem afetar participantes e consumidores de todo o mundo, sendo necessário otimizá-las e racionalizá-las, tanto para manter os alimentos em bom estado, quanto para manter os custos sob controle, a experiência do cliente positiva e a rentabilidade do negócio em geral. 

Ou seja, uma boa gestão da cadeia de suprimentos de alimentos também deve passar por evitar ao máximo perdas e desperdícios de alimentos, e garantir o cumprimento das regulações de segurança alimentar

O acompanhamento oportuno de cada etapa da cadeia de suprimentos é essencial, e para isto, por sua vez, é necessária uma boa visibilidade de toda a cadeia

Por fim, deve-se levar em consideração que uma cadeia de suprimentos de alimentos mal gerenciada, pode não apenas causar preços mais altos e alimentos de menos qualidade, mas até intoxicação alimentar, e muitas vezes, com isso, a destruição total da reputação de uma empresa, pois os alimentos são um assunto sério, e devem ser gerenciados como tal.

Junte-se à conversa!

Deixe seu comentário

Mais sobre

Publicações mais recentes

Benefícios de um WMS para a administração de armazéns

O mais transcendente da cadeia de suprimento começa no armazém: o lugar onde os produtos são organizados e guardados para serem distribuídos. Por isso os sistemas de administração de armazém (WMS), criados para ajudar a dirigir cada passo no movimento do inventário, evoluíram tanto nos últimos anos.

Tudo sobre Incoterms em logística [Infográfico]

Geralmente, quando acontece uma compra e venda internacional existem diferentes interpretações segundo as regras de cada país.

Transporte aéreo: tudo o que você deve saber para fortalecer sua logística

A logística aérea se converteu em um elemento quase indispensável do comércio exterior tanto pelo alto valor de algumas mercadorias quanto pelo imediatismo de entrega que os clientes finais demandam