Solistica ao dia

Atualmente, identificar riscos é uma tarefa imprescindível que deve ser realizada através de protocolos de atuação que considerem o que, como e quando fazer, principalmente quando se tem um alcance internacional.

Entérate de los más recientes acontecimientos e innovaciones en nuestra industria. Fique por dentro dos acontecimentos mais recentes e inovações em nossa indústria Find out about the latest developments and innovations in our industry.
    29 dez 2020

    Gerenciamento de risco na cadeia de suprimentos

    otimização da cadeia de suprimentos
    Compartilhar:

    Atualmente, identificar riscos é uma tarefa imprescindível que deve ser realizada através de protocolos de atuação que considerem o que, como e quando fazer, principalmente quando se tem um alcance internacional.

    O gerenciamento de riscos na cadeia de suprimentos tem ganhado relevância nos últimos anos devido à globalização, ao aumento nas redes de fornecedores, às demandas do mercado e à concorrência.

    O risco na cadeia de suprimentos pode ser definido como um acontecimento que pode ter um efeito negativo, quantitativo ou qualitativo, no fluxo de produção, transporte e entrega de um item. Portanto, o gerenciamento de riscos consiste em antecipar, identificar, avaliar e mitigar essas possíveis interrupções em todos os processos logísticos.

     Estes são os passos a serem seguidos para gerenciar os riscos em uma cadeia de suprimentos. Mais adiante cada um é explicado.

    1. Identificação do risco
      1. Fazer um brainstorm dos possíveis riscos.
      2. Definir as características de cada risco: nível e alcance.
      3. Ter um registro de identificação.
    1. Avaliação do risco
      1. Fazer uma análise quantitativa: quantificar a probabilidade, o impacto econômico e a perda monetária potencial, avaliar de forma agregada os riscos principais e criar modelos e simuladores de alcance.
      2. Fazer uma análise qualitativa: revisar a probabilidade de que o risco aconteça, classificá-lo, determinar os dados necessários, criar categorias de identificação e avaliar prioridades.
    1. Criação do plano de ação
      1. Desenvolver um plano que indique as ações que devem ser feitas e quando fazê-las.
      2. Buscar aprovações.
      3. Considerar orçamentos e recursos.
    1. Execução do plano de ação (se necessário)
      1. Estabelecer as ações em um calendário.
      2. Analisar as variações nos resultados esperados em caso de que tenha acontecido o risco.
      3. Analisar o orçamento para realizar as ações.
      4. Fazer reuniões periódicas que considerem mudanças e novos elementos.

     

    Passo 1: Identificação do risco

    Estes são alguns tipos de riscos que podem surgir em qualquer cadeia de suprimentos:

    • Riscos em fornecimento: relacionados com fornecedores, disponibilidade, interrupções trabalhistas, custos, qualidade, prazos, transportes, roubos e alfândegas.
    • Riscos em demanda: relacionados com erros em previsões, atrasos em entregas, preços, qualidade, perda de clientes e garantias.
    • iscos em processos internos: relacionados com informação, tecnologia, segurança informática, administração de inventário, capacidade, cobrança, atenção ao cliente, planejamento, estratégia, produção e fusões.
    • Riscos no ambiente: relacionados com instabilidade política e econômica, infraestrutura (estradas, aeroportos etc.), legislação, regulações, alfândegas, imprensa, meio ambiente, desastres naturais, mudanças climáticas, flutuação cambial, congestionamento de tráfego e greves.

    Algumas vezes, os riscos também são causados por fatores comerciais, já que os compradores e vendedores, em sua busca por melhores preços, causam riscos.

     

    Passo 2: Avaliação do risco

    A taxa de risco (risk rating) é a avaliação que determina a probabilidade e o impacto de que aconteça um risco dentro da cadeia de suprimentos. A probabilidade refere-se à possibilidade de o evento ocorrer, e o impacto, à magnitude da perda caso aconteça. Sua fórmula é a seguinte:

     

    Taxa de risco = Probabilidade x Impacto

    A combinação de valores de probabilidade e impacto gera uma planilha que permite avaliar os riscos e saber quais recursos humanos, técnicos e financeiros serão usados para mitigar cada risco:

    Os riscos baixos encontram-se na área verde; os médios, na área amarela; e os altos, na área vermelha.

    Por outro lado, a fórmula para avaliar o risco de maneira quantitativa — apenas para casos em que se têm dados reais e confiáveis— é a seguinte:

     

    Expected Money Avalie (EMV) = Probabilidade x Impacto x Custo

    A diferença com a fórmula de taxa de risco é que a EMV é representada em termos monetários.

     

    Passos 3 e 4: Criação e execução do plano de ação

    Após ter identificado, classificado e avaliado os riscos, deve ser estabelecido um plano de ação que garanta a continuidade das operações. Sem dúvida, ter políticas, processos e procedimentos contra contingências, bem como um comitê de riscos, diminuirá consideravelmente os possíveis efeitos negativos.

    Um plano de ação deve incluir as instruções para restaurar processos e serviços, e deverá considerar o seguinte:
    • Impacto real em custos
    • Tempo de recuperação
    • Responsável por cada tarefa
    • Processos alternativos
    • Parceiros na cadeia de suprimentos
    • Outras fontes de suprimento
    • Participantes da mesma indústria ou setor
    • Seguros, coberturas e apólices
    • Incoterms aplicáveis
    • Planos de capacitação

    Deve-se lembrar que o plano de ação não é um esforço único, por isso deve ser atualizado a cada dois ou três anos.

    Tecnologia para o gerenciamento de riscos

     Para desenvolver melhores estratégias de gerenciamento de riscos recomenda-se investir em tecnologia que agilize e integre os processos da companhia com os dos fornecedores e clientes. Não se trata apenas de conectá-los, e sim de criar canais de colaboração para aumentar a visibilidade e os controles.

    Existem softwares especializados na administração de riscos que incluem ferramentas para o gerenciamento eficaz de documentos, o que otimiza a comunicação de descobertas em tempo real e ajuda a tomar melhores decisões.

    Recomendações

    Os riscos que impactam a cadeia de suprimentos podem ter efeitos catastróficos no desempenho de qualquer companhia. Aqui estão alguns conselhos para evitá-los ou combatê-los da melhor maneira:

     

    • Escolher fornecedores 3PL sólidos e internacionais.
    • Reduzir o tempo de remessa internacional e as variações no ciclo.
    • Implementar metodologias como Lean ou Six Sigma para diminuir desperdícios.
    • Contratar seguros.
    • Utilizar ferramentas de visibilidade para rastrear remessas.
    • Integrar os sistemas de fornecedores, revendedores e clientes.

     

    Embora o gerenciamento de riscos não elimine a possibilidade de sofrê-los, prepara melhor as companhias para enfrentá-los, especialmente em ambientes globais e voláteis. Portanto, é recomendável ter o apoio de consultores externos para definir as políticas internas e o plano de ação.

    No caso de Solistica, inauguramos, há alguns meses, nossa Central de Gerenciamento de Riscos (Gris) no Brasil. Através desta central de riscos e segurança patrimonial, identificamos riscos e projetamos e executamos estratégias de prevenção e reação mediante tecnologia de ponta que permite monitorar a todo momento as cargas e tomar medidas preventivas e resolutivas em tempo real.

    Para saber mais, recomendamos que você também leia Chaves para a gestão e controle de riscos em logística e Modelo de gestão de riscos.

     

    Sobre el autor pt-br
    Solistica
    Solistica

    El contenido de esta publicación es brindado por el autor y no representa la posición de la empresa respecto al tema

    Buscador

      Motor de busca

        Search

          Artículos Recientes

          Artigos Recentes

          Recent Articles

          Historias Recientes

          Histórias Recentes

          Recent Stories

          feature image
          Chegamos na Guatemala!

          Suscríbete al Blog

          Inscreva-se no nosso blog

          Subscribe to the Blog

          New call-to-action
          Panorama da indústria logística

          Assine aqui!