A era do 4 PL

19 Setembro, 2022 Tudo sobre logística

Saber que tipo de modelo de terceirização é melhor depende da complexidade da cadeia de suprimento e dos objetivos estratégicos de cada companhia, assim como da natureza da mercadoria e da gestão da indústria.

Um fourth party logistics (4PL) representa um nível mais alto na administração da cadeia de suprimento do que um third party logistics (3PL), pois atua como uma torre de controle que supervisiona todos os fornecedores de serviço: armazéns, empresas de envio, agentes de carga etc.

O 4 PL é como uma interface entre o cliente e os fornecedores de serviço; faz as funções de uma companhia de outsourcing de recursos humanos já que geralmente não possui ativos de transporte ou de armazém, em vez disso coordena as operações da cadeia de suprimento, incluindo os transportadores, armazéns e logística inversa, e proporciona visibilidade e transparência de extremo a extremo. Sua principal característica é o planejamento e execução de estratégias enfocadas em oferecer o melhor serviço e valor de maneira integral.

No entanto, um 4PL gerencia todas essas operações da cadeia de suprimento, incluindo transportadores, armazéns, logística inversa e mais, rompendo silos e proporcionando visibilidade e transparência de extremo a extremo.

Diferenças entre os modelos 1PL, 2PL, 3PL e 4PL

Entender a diferença entre 3PL e 4PL, assim como de 1PL e de 2PL, pode ser confuso e, de fato, é bastante debatido na indústria logística. A seguir, se explica cada um:

  1. O modelo first party logistics (1PL) refere-se às companhias fabricantes ou varejistas que atuam como remetente e destinatário, ou que enviam mercadoria entre suas próprias locações. Neste caso, a distribuição recai totalmente no fornecedor.

  2. O modelo second party logistics (2PL) se aplica às companhias que proporcionam serviços de transporte em um segmento específico: transporte marítimo, operador ferroviário ou empresa de transporte de carga.
  3. De acordo com o Council of Supply Chain Management Professionals (Conselho de Profissionais em Gestão da Cadeia de Suprimento), o modelo 3PL consiste em terceirizar todas ou grande parte das operações logísticas de uma companhia. O termo surgiu na década de 1970 para identificar as empresas de comercialização intermodal (IMC) nos contratos de transporte, mas agora se ampliou para qualquer tipo de serviço logístico: transporte, armazenagem, cross-docking, administração de inventário, embalagem etc. Em 2008 se definiu legalmente o 3PL como uma entidade que somente recebe, retém ou transporta um produto de consumo, mas não se encarrega dele, são agentes de carga ou companhias de entrega que integram e oferecem serviços de logística e transporte subcontratados.

    Basicamente, neste modelo o cliente conserva a administração da cadeia de suprimento, mas as operações logísticas -básicas e de valor agregado- são realizadas por um ou mais fornecedores. As companhias geralmente recorrem a um 3PL quando sua cadeia de suprimento se torna muito complexa para administrá-la internamente ou quando suas operações requerem soluções tecnológicas pouco acessíveis, como sistemas de administração de armazéns ou de transporte. Um 3PL pode oferecer estratégias inovadoras que resultem rentáveis e satisfaçam a demanda dos clientes; no entanto, ao ser um fornecedor subcontratado, não pode ter supervisão direta da qualidade da mercadoria.

  4. No modelo 4PL, uma empresa subcontrata a administração de todas (ou da maioria) das atividades logísticas e a execução da cadeia de suprimento. Geralmente oferece uma visão mais estratégica, é neutra e gerencia o processo logístico independentemente de que transportadores ou armazéns sejam contratados, inclusive pode administrar os 3PL que já trabalham com o cliente originalmente.
    O termo 4PL foi registrado em 1996 pela Accenture, mas depois se tornou genérico. Atualmente também é conhecido como "o fornecedor líder de logística" e, segundo o Conselho de Profissionais em Gestão da Cadeia de Suprimento, se diferencia nestas formas:

    O 4PL é uma entidade independente estabelecida como uma empresa conjunta ou um contrato em longo prazo entre o cliente principal e um ou mais parceiros.

    O 4PL atua como uma interface entre o cliente e vários fornecedores de serviços logísticos.

    O 4PL administra todos (ou a maioria) dos aspectos da cadeia de suprimento do cliente.

    Um fornecedor de logística externo pode se converter em 4PL com sua estrutura já existente.

Principais diferenças entre 3PL e 4PL

  • O 4PL tem mais funções de integração e otimização; o 3PL está mais enfocado nas operações diárias.
  • O 4PL cria uma relação estratégica de alto nível; o 3PL é mais centrado nas operações.
  • O 4PL proporciona um único ponto de contato para a cadeia de suprimento e assume os processos de transportadores, armazéns e outros; o 3PL não tem a administração total destes.

Modelo 4PL em diferentes indústrias

O modelo 4PL pode ser aplicado na maioria das indústrias. A seguir são apresentadas algumas como exemplo: 

Farmacêutica e produtos médicos

Além de ajudar a otimizar a entrega desde um centro de distribuição até filiais, um 4PL administra os complexos requisitos de custódia, reduz os custos de inventário e pode desenvolver uma rede de centros de inventário para abastecer o estoque de hospitais e centros de atenção médica, eliminando os custos de envio.

Serviços em campo

Através de um 4PL se podem implementar elementos de uso comum em pequenos centros de distribuição para uma resposta rápida a menor custo, desenvolver uma base de artigos solicitados e inventário e assumir o controle da cadeia de suprimento através da administração de armazéns descentralizados e sistemas que ofereçam visibilidade e superem os níveis de serviço e tempo.

Varejistas

Um 4PL pode desenvolver uma estratégia para melhorar os tempos de envio e a precisão da demanda com uma visão estratégica ao criar uma rede eficiente em todas as plataformas e uma visibilidade para designar e repor o inventário segundo a demanda sem importar a localização.

Oportunidades para os 4PL

Os fabricantes estão desenvolvendo cada vez mais opções de produtos, embalagens e serviços de valor agregado, e como resultado há uma grande quantidade de canais fragmentados e soluções personalizadas para os clientes. Isto está gerando algumas oportunidades para os fornecedores de logística:

  • Administração de matérias primas entrantes e colaboração com outros fornecedores, como parte de uma rede de múltiplos níveis.
  • Disponibilidade em nível global, sobretudo na indústria médica e de alta tecnologia, cujos pedidos devem ser cumpridos em tempo quase real. Com a devida tecnologia, podem ser capazes de coordenar os fabricantes e fornecedores de todo o mundo.
  • Uso das últimas demandas para realizar previsões de demanda e envios inteligentes com precisão.
  • Orquestração em nível global, onde sua função como responsável pela coordenação esteja claramente estabelecido.
  • Aproveitamento das redes de empresas na nuvem para oferecer serviços de visibilidade e execução.

 

 

SOL-Blog no. 6 The 4 PL model in different industries VF trad rev final 1200 palabras

A evolução dos 3PL para 4PL será um dos fatores para que as companhias os selecionem como parceiros logísticos, e mais ainda agora que começa a surgir o modelo fifth party logistics (5PL) que busca gerar eficiência e maior valor de extremo a extremo através de tecnologias como robótica, radiofrequência e blockchain.

Sem dúvidas os 4PL são parceiros estratégicos que ajudam a cumprir os objetivos comerciais dos clientes. Operadores logísticos como a Solistica oferecem soluções integrais que contribuem para alcançar essa metas através de relações em longo prazo.

 

Portugues_OPC1_SOL_CTA_Almacenes_v2

Este blog foi publicado em 15 Outubro 2019 e otimizado em 19 de setembro de 2022.

Junte-se à conversa!

Deixe seu comentário

Mais sobre Tudo sobre logística

Principais indicadores e ferramentas para a análise de inventários

A gestão de inventários é um dos principais aspectos para o sucesso das empresas. De fato, as empresas bilionárias consideram esta tarefa como uma prioridade, porque contar com o volume ideal de estoque (suficiente, mas não em excesso) ajuda a otimizar custos, maximiza a produção e as vendas, ao mesmo tempo em que evita perdas devido ao excesso ou déficit de itens cruciais.

A era do 4 PL

Saber que tipo de modelo de terceirização é melhor depende da complexidade da cadeia de suprimento e dos objetivos estratégicos de cada companhia, assim como da natureza da mercadoria e da gestão da indústria.

O papel da consultoria na logística

Contar com serviços de consultoria em logística é uma decisão estratégica na empresa que cumpre a função de fazer com que se diferencie competitivamente falando. Graças a esta consultoria a empresa adquire conhecimentos, experiências e habilidades para tomar melhores decisões e alcançar eficientemente as metas na cadeia de suprimento.

Publicações mais recentes

Transporte multimodal: um aliado-chave do comércio exterior

O transporte multimodal está oferecendo grandes benefícios ao comércio internacional de mercadorias. Conheça essa e outras chaves dessa prática logística.

Cross-docking, modernidade e velocidade para a cadeia de suprimentos: tecnologias e suas variantes

Os problemas de estoque no depósito podem ser eliminados e, ao mesmo tempo, aumentar a velocidade da cadeia de suprimentos? Sim, cross-docking e tecnologia de ponta podem fazer isso!

Treinamento em simulador para operadores de transporte

Simuladores rodoviários: uma nova e mais eficiente forma de treinar operadores de transporte de cargas pesadas. Saiba mais sobre eles!