Fatores de controle de qualidade da cadeia de frio

7 Setembro, 2022 Gestão de transporte

O transporte e manuseio de produtos que exigem a manutenção de níveis de temperaturas e umidade controladas em cada um de seus elos, é um desafio particular na cadeia de suprimentos. 

Trata-se da cadeia de frio, ou seja, o conjunto de etapas sucessivas (da produção até a comercialização) nas quais níveis específicos de temperatura devem ser mantidos para garantir a qualidade e preservação destes produtos, principalmente alimentos, medicamentos ou vacinas. 

Os processos logísticos envolvidos dependem de fatores-chave para superá-la. Estes são os mais importantes:

1. A medição de variáveis-chave 

Registrar e controlar, principalmente, a temperatura, e quando necessário, o nível de umidade, com os materiais e ferramentas adequados, é a atividade mais importante nestes processos.

2. As condições de armazenamento 

O armazenamento adequado neste caso requer: salubridade, as capacidades de refrigeração necessárias e uma logística eficaz para todas as atividades relacionadas, desde a carga e descarga, e a localização dos produtos, até o picking ou a preparação de pedidos, passando pela embalagem. 

Atualmente, nos melhores armazéns refrigerados, não é mais necessário coletar informações manualmente dos medidores de temperatura, pois o monitoramento com tecnologia baseada em sensores disponibiliza estes dados para análise. 

Há também o monitoramento por imagens térmicas e por dinâmica dos fluidos computacional (CFD), que analisa o fluxo de ar durante o processo de resfriamento e

permite determinar a ventilação ideal para caixas, distribuição de paletes e outras variáveis no armazenamento a frio.

3. O transporte e a acomodação 

No transporte de produtos que precisem de cadeia de frio, os veículos e a correta acomodação são fundamentais. 

Este tipo de transporte requer um pré-resfriamento a uma temperatura inferior à do produto a ser transportado, para eliminar o calor residual, deve ter a tecnologia e as ferramentas de controle de temperatura necessárias, e ter sistemas de backup que evitem que a cadeia de frio seja rompida em algum momento.

4. A inovação tecnológica e a informação em tempo real 

Para garantir a precisão de todos estes processos, a tecnologia evoluiu em aparelhos auxiliares para a refrigeração e rastreabilidade completa. Há tanto equipamentos de leitura no destino (conhecidos como loggers), como equipamentos de leitura em tempo real (conhecidos como trackers ou termógrafos). 

Estes avanços proporcionam a máxima eficiência aos processos, tanto com sistemas e aparelhos de controle e monitoramento, como com um bom software para controlar todas as operações e tarefas da cadeia. 

Atualmente existem até sistemas de refrigeração com refrigerantes naturais como amônia (NH3) ou dióxido de carbono (CO2), sistemas que extraem calor do campo para iniciar o processo da cadeia de frio. O monitoramento em tempo real das cargas também permite obter dados de localização, temperatura, umidade e outras variáveis, ​​como níveis de CO2  ou abertura de portas, para melhor controle. 

Aumentar a capacidade de monitorar e controlar a cadeia de frio permite que sejam tomadas medidas corretivas oportunas quando qualquer variável crítica estiver fora dos intervalos estabelecidos para o controle de qualidade, oferecendo assim a oportunidade de evitar perdas ou reduzir o desperdício, enquanto o próprio registro, o livro de condições ao longo  da cadeia, permite que as partes envolvidas validem que os produtos foram mantidos na s condições exigidas.

5. O fator humano

Embora estas novas tecnologias ofereçam uma boa dose de certeza, não devem ser deixadas de lado as questões de treinamento do pessoal envolvido, as atualizações técnicas e a formação.

Em geral, é imprescindível aproveitar os benefícios destas tecnologias ao gerenciar a cadeia de frio.  

Por fim, mesmo além do cumprimento da regulamentação legal e dos requisitos a serem observados pelos operadores ao lidar com produtos como estes,  deve-se lembrar que qualquer falha em qualquer parte da cadeia, danificará os produtos, os desperdiçará ou, no mínimo, diminuirá sua qualidade, muitas vezes com consequências para a saúde humana, como a proliferação de micro-organismos perigosos  no caso de alimentos e a perda de eficácia no caso de medicamentos. 

Portanto, os investimentos e ajustes necessários para uma melhor gestão da cadeia de frio beneficiam a todos nós do ponto de vista econômico e social. 

New call-to-action

Junte-se à conversa!

Deixe seu comentário

Mais sobre Gestão de transporte

Treinamento em simulador para operadores de transporte

Simuladores rodoviários: uma nova e mais eficiente forma de treinar operadores de transporte de cargas pesadas. Saiba mais sobre eles!

Fatores de controle de qualidade da cadeia de frio

O monitoramento da qualidade dos produtos que necessitam da cadeia de frio é crítico para o cuidado com a saúde humana.

Riscos do transporte e ferramentas para sua gestão

Os riscos mais comuns no transporte de mercadorias podem ser reduzidos com uma gestão adequada.

Publicações mais recentes

Transporte multimodal: um aliado-chave do comércio exterior

O transporte multimodal está oferecendo grandes benefícios ao comércio internacional de mercadorias. Conheça essa e outras chaves dessa prática logística.

Cross-docking, modernidade e velocidade para a cadeia de suprimentos: tecnologias e suas variantes

Os problemas de estoque no depósito podem ser eliminados e, ao mesmo tempo, aumentar a velocidade da cadeia de suprimentos? Sim, cross-docking e tecnologia de ponta podem fazer isso!

Treinamento em simulador para operadores de transporte

Simuladores rodoviários: uma nova e mais eficiente forma de treinar operadores de transporte de cargas pesadas. Saiba mais sobre eles!